quarta-feira, 28 de junho de 2017

Insónias

"Insónias assolam a minha alma durante a madrugada, num distúrbio doentio e difícil de controlar. Brotam quase diariamente, numa penitência eterna que já se entranhou na mente, moldando a minha própria essência. De nada vale acreditar que hoje será diferente, que a mente vai ter finalmente descanso, é um engano, uma utopia sequer equacionar tal coisa, tornou-se algo hereditário que passa de dia para dia numa rotina interminável.  Perdi no tempo o número de madrugadas em claro, o número de horas de descanso perdidas, passou a algo tão frequente que se transformou numa qualquer rotina banal. Não é caso de identificar se hoje será igual mas sim, de apostar o número de horas que a mente dará tréguas. De nada vale deitar cedo, tentar descansar, relaxar o corpo para dormir, nenhum truque ou artimanha que utilize consegue contornar a vontade da mente, por vezes somente piora a situação essa tentativa em vão de a tentar quebrar. Durante anos procurei o botão de desligar, aquele pequeno interruptor que supostamente me faz desligar do mundo, colocando fim a uma inquietação mental por demais evidente. Foi uma busca em vão, uma quimera perdida logo há nascença e cujo longo percurso somente me deixou com pestanas queimadas e (mais) cabelos brancos. Como posso ter sido tão ingénuo pensando que bastava puxar uma simples tomada da corrente elétrica. Todas as noites, anjos e demónios gladiam-se na arena, numa fervorosa e intensa batalha entre o bem e o mal, oferecendo entretenimento mental durante horas a fio, cinema gratuito onde somente faltam as pipocas. Deito na almofada recusando fechar as pálpebras, resistindo ao fechar de olhos que somente vai intensificar um fogo que já arde em combustão. Por vezes luto e encarno eu próprio personagem de batalha numa epopeia dos sentidos, com direito a espada e tudo. Abro os olhos a custo, o sol teima em querer espreitar pelas persianas  semi abertas do quarto, corpo quente, suado, mais uma madrugada terminada, podia ser diferente? Poder podia mas...não era a mesma coisa..."



16 comentários:

  1. Adorei ler o texto e ver a imagem que o ilustra
    .
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também adorei o texto, daí o ter partilhado. Este Ricardo tem o dom da escrita.
      Beijo.

      Eliminar
  2. Gostei da cama e das almofadas.

    Ass: Marisol

    ResponderEliminar
  3. muito bom texto e a imagem também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também eu. :) e por acaso ando com insónias!

      Eliminar
    2. Felizmente eu não, ando a dormir mto bem. ;)

      Eliminar
  4. Tão só... Tão 'nua'.Como te queria 'vestir', te envolver num manto feito de mim. Deixar-te louca, húmida. Como queria....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tu continuas no ataque... :P

      Eliminar
    2. Só se quiseres que pare.... seria uma pena, tão louco me deixam teus escritos.... Mas...

      Eliminar
    3. Tu ataca como mais gostares, aguento bem ctg! :P :D

      Eliminar
  5. 这床应该很舒服,我要到这床休息了,晚安

    ResponderEliminar